5 razões pelas quais eu amo viver no Porto!

Em 2013, eu vim parar nesta cidade mara para estudar. Queria fazer uma segunda faculdade e escolhi o Porto para viver durante os anos que eu levaria para terminar o meu curso de História. De cara, senti-me em casa. Foi uma paixão arrebatadora pela cidade, pela universidade, pela vida nova que eu comecei a construir. Mas, até hoje, a cada dia que passa, eu tenho mais motivos para amar viver aqui. Para este post, escolhi 5 razões pelas quais eu amo viver no Porto. Confira a lista!

1. Segurança

O Porto é a segunda maior cidade do país. É claro que isso traz alguns problemas comuns da vida urbana. A insegurança pode ser um deles. E é até complicado falar deste assunto, porque na minha rua mesmo aparecem carros com vidros quebrados por vândalos. Digo vândalos, pois nunca ouvi alguém dizer que levaram algo de dentro dos veículos. Parece até que é por pura diversão.

“Certo, Suzana. Mas a segurança não era para ser um ponto positivo?” Sim. E é. Apesar destes episódios e de outros problemas que aparecem vez ou outra, não ouvimos falar de assaltos com armas de fogo, por exemplo. Falo por mim, pelos meus amigos de diferentes bairros e condições financeiras, pela família que tenho aqui por parte do marido, enfim, falo por todo mundo que eu conheço. Não é corriqueiro haver roubos violentos. Nem roubos não violentos.

É claro que não dá certo deixar coisas de valor em um espaço público e ir dar uma volta. Não aconselho, né? Furtos existem em todo lado. Mas dá para andar na rua com o seu telemóvel (celular), a sua bolsa, as suas coisas, de dia ou de noite, sem medo. E viver sem medo não tem preço. A cidade passa uma sensação de segurança, mesmo que você não veja tanto policiamento nas ruas. Dá para andar de boa nos transportes públicos, assistindo Netflix no telefone ou no tablet, porque é muito improvável que alguém se meta com você.

Enfim, ter cuidado sempre é bom. Estar atento e tal. Porém, para mim, isso aqui é um paraíso de tranquilidade. Ainda tenho os vícios de brasileira, como andar agarrada com a bolsa, não tirar o olho dos meus pertences e estar sempre ligada em quem está na rua comigo em horas de pouco movimento (basicamente de madrugada). Mas, no quesito violência urbana, a verdade é que ando tranquilona por aí, sozinha ou acompanhada. Amo isso.

2. História

Ok. Eu sei. Eu sou louca por história. Eu sou historiadora. Eu tenho um projeto que associa história e cultura local com passeios turísticos. Ou seja, claro que este é um ponto importante para mim. Mas diga aí se não é muito da hora viver num lugar que tem tanto patrimônio preservado, em que, para onde você olha, tem tantas referências históricas que você pira o cabeção!

Aqui a história começa antes mesmo de o Império Romano dominar a Península Ibérica. Foram tantas fases diferentes e é tão incrível poder andar pelas ruelas e testemunhar tudo isso que eu, às vezes, nem acredito que moro num lugar assim.

Saí de Recife, que, junto com Olinda, guarda um patrimônio histórico e cultural riquíssimo. Só é uma pena que muita gente não valorize, a começar pelas autoridades, é claro, que deixam tesouros preciosos caírem aos pedaços. Infelizmente. E, infelizmente, isso também acontece por aqui, mas numa escala menor, eu diria.

É obvio que o Porto mudou muito ao longo do seu desenvolvimento urbano. Muitas coisas foram destruídas, como a enorme muralha que cercava a cidade. Hoje, restam apenas alguns pedaços dela. Só que cabe aqui esclarecer que isso foi um processo muito comum nas cidades europeias mais antigas. Se a cidade crescia para além dos seus muros, em vez de tentar conviver com esse tipo de estrutura, era comum, simplesmente, destruir.

Ainda assim, a cidade é de babar. E, quando se conhece a história daquilo que se vê, tudo fica ainda mais encantador. Vou, então, aproveitar para fazer um jabá: se vier ao Porto, não deixe de percorrer a cidade com a Porto do Avesso, que faz um trabalho incrível ao apresentar o Porto como você nunca imaginou conhecer. Amo isso.

3. Estrutura

Estava a conversar com uma amiga e perguntei se ela gostava de viver no Porto. Ela disse que sim, apontando uma coisa que eu costumo comentar como uma grande vantagem. A cidade, apesar de ser a segunda maior do país, como eu já disse, tem um quê de cidade pequena. Esqueça as proporções das cidades brasileiras. Porém, não deixa a desejar em nada em relação às cidades maiores. Na realidade, é bem o contrário.

Imagine viver em um lugar descomplicado, em que, mesmo se houver um engarrafamento, você não passa 2 horas para sair daqui para ali. Óbvio que pode haver um acidente ou outro problema qualquer que dificulte o trânsito, mas nada de ficar completamente parado dentro de um carro por horas e horas. As distâncias são menores e, em geral, as redes viárias funcionam bem.

Ainda em termos de transportes, há um sistema bem bom de transportes públicos. Eu mesma não tenho carro e ando sempre de metro (aqui é sem o acento mesmo) ou de autocarro (busão). Vou para todo lado, na boa.

Quanto aos serviços, você tem tudo o que uma cidade enorme tem. Boa gastronomia, vida noturna massa, cinemas, vários shoppings, outlet perto (para quem gosta mesmo de comprar e shoppings não são o suficiente), serviços de todos os tipos (de estética a galerias de arte), enfim… podia enumerar até acabar o post. Mas a ideia é que não tem nada que eu tenha procurado e não tenha encontrado por aqui em termos de lojas e serviços.

Há, ainda, bons serviços públicos no que concerne à saúde, em que você paga uma taxa moderadora pelo uso que é quase insignificante. Saúde barata e de qualidade. Transportes que funcionam. Todo tipo de lojas e serviços. Amo isso.

4. Vida cultural e lazer

O Porto é uma cidade de rio e de mar. Cortada pelo Douro, a cidade abriga também a foz deste rio. Aqui existem belas praias e um belíssimo pôr-do-sol sobre o oceano. Não faltam points a partir de onde você pode apreciar os espetáculos da natureza.

Outra coisa que não falta são os bonitos e agradáveis parques e jardins. Sempre há um lugar fixe (maneira portuguesa de dizer “legal”) para fazer um passeio ou um piquenique. Nesses espaços, a cidade também promove festivais de música, comida, bebida e viradas culturais, que são incríveis por sinal.

Também encontramos por aqui mostras de arte e fotografia, exposições de vários tipos e shows bons, de graça e ao ar livre no meio da cidade. Há cinema fora de shoppings, com um cartaz diferente e menos comercial. Teatros e casas de espetáculo trazem artistas, peças e filmes de todo o mundo para cá. Isto é, não dá para ficar entediado no Porto. Sem falar que, se bater saudade do Brasil, basta ir à Ribeira do Douro ouvir uma boa música brasileira enquanto aprecia a vista. Amo isso.

5. Idioma

Este tópico vai ser até pequeno, porque eu não preciso nem explicar muito, né? Tem coisa melhor do que você sair do seu país para morar fora e falar o seu próprio idioma? É claro que, vivendo na Europa, é muito útil você saber falar outras línguas, já que a mobilidade de estrangeiros é grande e você vai precisar lidar com eles. Seja no trabalho, no mundo acadêmico ou no meio da rua, é bom saber desenrolar algum outro idioma. Mas, para viver aqui, isso não é um requisito que lhe impeça de ter uma vida normal.

Também é de conhecimento geral que há palavras e sotaques diferentes. Eu mesma tive de aprender muitas coisas e adaptar-me para ser melhor compreendida. Porém, no Brasil, isso acontece quando você muda para o estado do lado. Então, não é um bicho de sete cabeças isso acontecer em um outro país. Portanto, se você fizer um esforcinho para se adaptar, tudo vai correr bem. Eu, por exemplo, até chamo uma moça de rapariga sem grandes complexos hoje em dia, embora com algum constrangimento ainda. Ahahahaha  Amo isso.

 

 

E essas foram as 5 razões pelas quais eu amo viver no Porto. Há muitas mais, só que este post já está gigante. Ao longo do tempo, vocês vão descobrir mais motivos para amar esta cidade junto comigo. Obrigada por ler até aqui!

Beijoca grande!

13 Comments on “5 razões pelas quais eu amo viver no Porto!

    • Dany, é mais fácil do que para outros países da Europa, porque há muitos convênios entre Brasil e Portugal. Mas a melhor maneira de vir e inserir-se no mercado de trabalho é através de um visto de estudo. É mais fácil de conseguir! Depois, pretendo falar mais disso aqui no blog e no canal também. Beijo!

    • Todas à disposição da PdA! Encontrei no fundo do baú e já vou fazer montagem para a gente! :*

  1. Adorei o blog, prima! Já estou ansiosa pelos novos posts! Parabéns pela iniciativa, até consigo me sentir mais pertinho! Beijão!

    • Que massa, Tata! Fico muito feliz que tenhas gostado! Obrigada mil vezes pelo apoio! Vamos ficar mais pertinho agora! A ideia é essa! Amo tu! Beijão!

    • Obrigada, Adri! Que bom que você gostou! Beijo enorme em vocês três!

  2. Adorei Su!!

    Texto e fotos maravilhoso!!!

    Beijinhos da vizinha!!

    • Obrigada, amore! Que bom que gostaste! Beijo grande, vizinha!

  3. Muito bom. Adorei. Aguardando o próximo post. Leitura obrigatória nos meus dias. Obrigada pela generosidade.

  4. Está muito bom parabéns boa sorte para nos dar mais detalhes bjs linda Sobrinha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *